20 vinhos brancos da África do Sul para trazer na mala

Tivemos a oportunidade de participar do White Wine Review 2017 no hotel Table Bay em Capetown, coordenado pela rede Caroline’s Winestore, onde 60 vinícolas ofereceram seus vinhos para degustação. Aqui vai uma relação de 20 vinhos brancos recomendados por Vinho a Dois, lembrando que os valores indicados, estão na moeda local (rand) e para converter para reais é só dividir por 4:

vinhos-1-a-5.png

1) Botanica Wines: The Mary Delany Collection Chenin Blanc 2015 (5 estrelas). 316 rand

2) Boekenhoutskloof: Semillon 2015 (4,5 estrelas). 336 rand

3) B Vinters: Haarlem to Hope Blend 2016 (5 estrelas). 284 rand

4) Chamonix: Reserve Chardonnay 2016 (4,5 estrelas). 432 rand

5) Cape Point: Isliedh White Blend 2016 (5 estrelas). 310 rand

vinhos-6-a-10.png

6) Constantia Uitsig Semillon 2015 (5 estrelas). 185 rand

7) Cederberg: Five Generation Chenin Blanc 2015 (4,5 estrelas). 273 rand

8) Cederberg: Ghost Corner Sauvignon Blanc 2016 (5 estrelas). 261 rand

9) David e Nadia: Aristargos Blend 2016 (4,5 estrelas). 370 rand

10) Delaire Graff: Terraced Block Reserve Chardonnay 2015 (4,5 estrelas).

vinhos-11-a-15

11) De Morgenzon: Reserve Chenin Blanc 2016 (4,5 estrelas). 471 rand

12) Diemersdal: Eight Rows Sauvignon Blanc 2017 (4,5 estrelas). 206 rand

13) Fairview: Nurok Chenin Blanc 2016 (4,5 estrelas). 211 rand

14) Groot Constantia: Chardonnay 2016 (4,5 estrelas). 289 rand

15) Hamilton Russell: Chardonnay 2016 (4,5 estrelas). 505 rand

vinhos-16-a-20

16) Hartenberg: The Eleanor Chardonnay 2015 (4,5 estrelas). 426 rand

17: Haskell: Anvil Chardonnay 2016 (4,5 estrelas)

18) Jordan: Nine Yards Chardonnay 2015 (4,5 estrelas). 478 rand

19) Ken Forrester: Roussanne 2015 (4,5 estrelas). 282 rand

20) Kleine Zalze: Family Reserve Sauvignon Blanc 2016 (4,5 estrelas). 230 rand

 

Esses foram os TOP 20 para trazer na mala. Conheça também os vinhos tintos no post 20 VINHOS TINTOS DA ÁFRICA DO SUL PARA TRAZER NA MALA.

Você já provou algum deles? Comenta para nós o que achou! Compartilhe com seus conhecidos e ajude-nos a chegar a cada vez mais pessoas.

Até o próximo post, que vai fechar nossa mini-série sobre vinhos e vinícolas na África do Sul.

Anúncios

Novo olhar sobre o vinho.

 

22243914_1211608618985321_1690505028_o

 

Voltando a escrever nossas aventuras viníferas.

Pois bem, após um ano afastados, estudando e viajando, retornamos com um olhar um pouco mais realista sobre o mundo do vinho e descobrimos que há tanto a aprender e se deliciar. Portanto, sempre que for possível,  vamos compartilhar tanto o vinho como o conhecimento.

Neste último ano, participamos do  Curso de Formação de Sommeliers da ABS RS (Associação Brasileira de Sommeliers).

 

Depois de 7 meses de imersão nos conceitos vínicos, já formados como sommeliers, realizamos algumas viagens bem focadas no assunto.

Tivemos a oportunidade de visitar à Vinexpo  (Feira internacional de vinhos que acontece em Bordeaux a cada 2 anos) com um grupo de sommeliers, visita organizada pela agência Bem Vino que tem um olhar bem diferenciado para o mundo do vinho.

Sobre Vinexpo e Bordeaux falaremos em um próximo post.

No momento estamos de malas prontas para uma imersão na África do Sul, juntando um intercâmbio de inglês ao mar de vinícolas sul africanas.

O assunto já nos faz salivar.  Estamos ansisosos para provar  essas delícias em  cenários encantadores.

Até o próximo post.

GRANDES VINHOS BRASILEIROS LUIZ ARGENTA CUVÈE 2009

14542616_942775935868592_95132945_n

Esse vinho produzido pela vinícola  Luiz Argenta na região de altos montes na cidade de Flores da Cunha – RS, possui características diferenciadas por utilizar um método italiano semelhante ao “Ripasso”, que consiste em refermentar  e macerar o vinho sobre os bagaços de uvas de um outro vinho chamado “Merlot Uvas Desidratadas”. Com produção limitada a apenas 2500 garrafas este “Luiz Argenta Cuvèe” é produzido com 60% de uvas Merlot, 25% Cabernet Franc e 15% de Petit Verdot, maturando 18 meses em barricas de carvalho francês e mais 24 meses de maturação na garrafa. O vinho possui 13,7% vol. de álcool.

Vinho difícil de encontrar no mercado, acabamos conseguindo por encomenda no “Empório Gomes” na cidade de Canoas, região metropolitana de Porto Alegre.

O “Luiz Argenta Cuvèe” é um vinho ambicioso, garrafa imponente e pesada, rótulo elegante e sóbrio que desperta a tentação de abri-la. A garrafa que abrimos tem o número 1847.

O vinho apresenta cor vermelho rubi profundo, aromas frutados, especiarias e tabaco, boa acidez, taninos finos, com grande corpo e final persistente. Um vinho que pode ser guardado na adega por vários anos. Sem dúvida um vinho de ótima qualidade que merece ser provado. Recebeu 91 pontos do “Guia Adega Vinhos do Brasil” edição 2015/2016.

Investimento: RS 198,00 (Empório Gomes)

Até o próximo post.

Este post não é um publi-editorial.

 

 

 

 

12 VINHOS URUGUAIOS PARA TRAZER NA MALA

 

277f07a9e6622ed3aee177273a7982b1

Nós, aqui do sul do Brasil, temos a vantagem de estarmos bem pertinho desse país de muitas belezas e sabores, o Uruguai. São menos de 500 Km de estrada entre Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, até a fronteira do país vizinho. O Uruguai apresenta um panorama de forte evolução na qualidade de seus vinhos e com isso, os preços também têm ficado menos atraentes em alguns casos. Alguns dos vinhos dessa listagem são encontrados no mercado brasileiro, principalmente em lojas especializadas, mas, é claro, com preços bem mais altos devido aos altíssimos impostos de importação.

Nesse post damos dicas de vinhos tintos que não podem faltar na sua mala na volta de sua próxima viagem ao Uruguai. As pontuações são baseadas no Guia “Descorchados”, de Patrício Tápia.

 

  1. FAMIGLIA NECCHINI BLEND 2011 – 95 pontos R$ 380,00

filgeira

2. FAMILIA DEICAS PRELÚDIO 2009 – 94 pontos R$ 99,00

establecimiento-juanico-familia-deicas-preludio-barrel-select-red-juanico-uruguay-10582109

3. ESTANCIA LA CRUZ  JANO 2013 – 94 pontos R$ 119,00

jano-2011

4. VINEDOS DE LOS VIENTOS EOLO – 94 pontos R$ 60,00

eolo

5. CARRAU YSERN TANNAT  2007 – 94 pontos R$ 90,00

YsernTannatGranReserva

6. CARRAU AMAT  2011 – 94 pontos  R$ 2011 – R$ 160,00

CARRAU AMAT

7. CARRAU RESERVA TANNAT 2013 – 93 pontos – R$ 42,00

carrau reserva

8. PIZZORNO FAMILY ESTATES PRIMO 2011 – 93 pontos – R$ 165,00

pizzorno

9. ALTO DE LA BALLENA CETUS 2012 – 93 pontos – R$160,00

CETUS 2

10. FAMILIA DEICAS ATLANTICO SUR RESERVE 2015 – 93 pontos – R$ 63,00

atlantico sur

11. VINA VARELA ZARRANZ GUIDAÍ DETÍ 2013 – 92 pontos – R$ 77,00

verela-zarranz-guidai-deti-gran-reserva-canelones-uruguay-10325565

12. DE LUCCA RESERVA FINCA ANTONELLA 2011 – 92 pontos – R$ 39,00

de lucca

 

Se vocês já provaram algum desses vinhos, deixem seus comentários.

Veja também:

12 VINHOS ARGENTINOS PARA TRAZER NA MALA

10 Vinhos Portugueses Premiados

10 Bons vinhos para trazer do Chile (com bom preço).

Até o próximo post.

CONFRARIA do TASTEVIN – Mulheres e Homens irmanados na paixão pelo vinho. França II

IMG_3160

Em nossa viagem à Borgonha estivemos no “Clos Vougeot”, onde fica a sede dos “Chevaliers du Tastevin” (Confraria do Tastevin), a mais famosa confraria de vinhos do mundo, que foi fundada em  16 de novembro de 1934. Quase ao mesmo tempo, seus fundadores – os principais viticultores da Borgonha – compraram o Castelo Clos de Vougeot, um enorme palácio do século 12, para ser sua sede mundial.

Esta confraria é um clube super selecionado – e caro –  onde fazem parte reis, rainhas e príncipes, industriais, fazendeiros, banqueiros, políticos e artistas provenientes de muitos países. Todos irmanados por uma paixão comum: o vinho.

Nessa confraria, não basta dinheiro para participar, a pessoa deve ter princípios conforme se nota na seguinte frase:

“Não consagra um novo membro apenas pelo seu sucesso mundano. A Confraria aprecia o mérito e o talento, honrando o seu esforço pessoal, sua inteligência científica e seu amor pela França, o seu respeito e ações em prol dos valores humanos”. Para se tornar membro  é preciso redigir uma petição e ser apresentado por dois membros da confraria.

Em certas ocasiões do ano, membros da confraria se reúnem no castelo Clos de Vougeot, para degustações intermináveis e para almoços e jantares memoráveis.

A frase de São Bernardo, santo padroeiro da ordem, se tornou uma espécie de síntese do espírito do Tastevin: “Ninguém é bom se não desejar se tornar melhor”.

Nas fotos acima, o castelo “Clos de Vougeot”, uma coleção antiga de “tastevin” (recipiente côncavo, pequeno, geralmente de prata, que era utilizado para observar a cor e o brilho dos vinhos).

IMG_3118

Após a visita ao castelo “Clos de Vougeot”, nessa maravilhosa região, com aromas fantáticos e paisagens de cinema, iniciamos o nosso roteiro de visitas à vários produtores da região: Prosper Maufoux, Ropiteau, Moilhard – Grivot  e Domaine Bertagne. Provamos “in loco” o que é um verdadeiro “Pinot Noir” da Borgonha. Já havíamos percorrido parte desse trajeto de”bike” em nosso passeio em dias anteriores, conforme nosso post :

De bike na Borgonha – França (Parte I)

Resumidamente os vinhos da Borgonha possuem 4 classificações:  Regional: os “Bourgogne” mais comuns, Village: um nível acima dos regionais, o rótulo indica o nome da comuna, Premier Cru: A elite dos vinhos e Grand Cru: a elite das elites.  

Após cada degustação, aproveitamos para comprar uma ou duas garrafas para trazer para casa, sempre lembrando do peso que teríamos que carregar.

Até o próximo post.

Os 14 Melhores Vinhos Tintos Brasileiros

A melhora da qualidade dos vinhos brasileiros tem surpreendido nos últimos anos. Muitas vinícolas nacionais estão investindo em equipamentos mais modernos, as videiras estão tendo um cuidado especial e novas regiões produtoras estão surgindo. Além disso, o consumidor tem muito mais informações sobre os produtores e a qualidade dos vinhos podem ser consultadas na web com poucos “clics” do mouse.

Nesse post, o “Vinho a Dois” colocou somente os vinhos tintos nacionais, na categoria “Destaques”, “Grandes Destaques” e “Melhores do Ano”, com pontuações iguais ou superiores a 90 pontos, em todas as faixas de preço. Vocês verão que alguns vinhos tem o preço mais simpático que outros e se não forem encontrados em lojas especializadas, podem ser comprados com facilidade pela internet.

Segundo o “Guia Adega” edição 2015-2016, da editora Inner, os melhores vinhos tintos do Brasil, são os seguintes:

 

pizzato dna

92 pontos: PIZZATO DNA 99 merlot 2011                                           Preço: R$ 180,00

 

guaspári

91 pontos: GUASPARI VISTA DA SERRA syrah 2012                         Preço: R$ 148,00

 

large_lidio-carraro-grande-vindima-merlot

91 pontos: LIDIO CARRARO GRANDE VINDIMA merlot 2008           Preço R$ 148,00

 

cuvee

91 pontos: LUIZ ARGENTA CUVÉE  2009                                             Preço R$ 210,00

 

maximo-boschi-merlot_small

91 pontos: MAXIMO BOSCHI merlot 2006                                              Preço R$ 114,00

 

lote43site1

91 pontos: MIOLO LOTE 43  2012                                                            Preço R$ 129,00

 

concentus

91 pontos: PIZZATO CONCENTUS GRAN RESERVA  2010                  Preço R$ 102,00

 

MioloQuintadoSeivalCastasPortuguesas

91 pontos: QUINTA DO SEIVAL castas portuguesas 2013                   Preço R$ 87,00

 

alto das figueiras

90 pontos: ALTO DAS FIGUEIRAS touriga nacional 2013                   Preço R$ 68,00

 

dedicato

90 pontos: MONTE PASCHOAL DEDICATO tannat 2013                    Preço: R$ 84,00

 

alicante

90 pontos: PIZZATO RESERVA alicante bouschet 2009                     Preço: R$ 75,00

 

pizzato

90 pontos: PIZZATO RESERVA tannat 2010                                           Preço: R$ 66,00

 

valmarino

90 pontos: VALMARINO ANO XVIII cabernet franc 2012                   Preço: R$ 99,00

guatambu

90 pontos: VINHO DA ESTÂNCIA tannat 2013                                       Preço: R$ 42,50

 

Compartilhe essa lista com seus amigos!

Até o próximo post.

 

 

 

Região da Rioja – Espanha II

O rio Ebro banha a região da Rioja.

A Rioja é a mais famosa região vinícola da Espanha, com mais de 500 bodegas. Contempla um desenvolvido turismo enológico, inúmeras atividades culturais, fazendo parte do Caminho de Santiago de Compostela. Podemos assim, imaginar o leque de opções que o viajante tem em mãos quando abre o mapa.

Nossa primeira parada na região, foi na pequena cidade de “Haro” onde visitamos a vinícola Muga. Fizemos a degustação “Cata completa – 5 vinos”

 

muga reservamuga enea

 

Bem próximo dali, fica a tradicional “R. Lopes de Heredia – Vinã Tondonia”, conhecida por comercializar vinhos de longa guarda. Para ter uma ideia, o “Gran reserva tinto” é envelhecido por 20 anos (10 anos em barrica de carvalho mais 10 anos na garrafa), antes de ir ao mercado. São vinhos sofisticados com um preço um pouco salgado (cerca de 35 euros o reserva e 55 euros o gran reserva), mas que valem a pena comprar para uma degustação e nova experiência.

tondonia grtondonia res.

 

 

Nos hospedamos em Logroño, capital da Rioja. No dia seguinte fomos até a pequena cidade de Elciego/ Álava visitar a “Bodega Marqués de Riscal”. Essa tradicional vinícola fundada em 1858, inaugurou em 2006 um novo prédio de espetacular beleza, criação do arquiteto Frank O. Gehry (o mesmo criador do museu Guggenheim de Bilbao). Uma visita realmente imperdível ! Degustamos os vinhos Marqués de Riscal Verdejo (D.O. Rueda) y Marqués de Riscal Reserva (D.O.Ca. Rioja).

marques res.marques rueda

A Rioja é um lugar para se voltar, certamente voltaremos.

Até o próximo post.